Share it!

terça-feira, 31 de maio de 2011

Sítio do Picapau Amarelo

A 18 de abril de 1882 em Taubaté, estado de São Paulo, nasce José Bento Monteiro Lobato.
Juca era assim chamado – adorava os livros de seu avô materno, o Visconde de Tremembé. Sua mãe o alfabetizou, teve depois um professor particular e aos sete anos entrou num colégio. Leu tudo o que havia para crianças em língua portuguesa. Em dezembro de 1896, presta exames em São Paulo, das matérias estudadas em Taubaté. Aos 15 anos perde seu pai, vítima de congestão pulmonar e aos 16 anos sua mãe. No colégio funda vários jornais, escrevendo sob pseudônimo. Aos 18 anos entra para a Faculdade de Direito por imposição do avô, pois preferia a Escola de Belas-Artes. É anticonvencional por excelência, diz sempre o que pensa, agrade ou não. Defende a sua verdade com unhas e dentes, contra tudo e todos, quaisquer que sejam as conseqüências. Em 1904 diploma-se Bacharel em Direito, em maio de 1907 é nomeado promotor em Areias, casando-se no ano seguinte com Maria Pureza da Natividade (Purezinha), com quem teve os filhos Edgar, Guilherme, Marta e Rute. Vive no interior, nas cidades pequenas sempre escrevendo para jornais e revistas, Tribuna de Santos, Gazeta de Notícias do Rio e Fon-Fon para onde também manda caricaturas e desenhos. Em 1911, morre seu avô, o Visconde de Tremembé, e dele herda a fazenda de Buquira, passando de promotor a fazendeiro. A geada, as dificuldades, levam-no a vender a fazenda em 1917 e a transferir-se para São Paulo. Mas na fazenda escreveu Jeca Tatu, símbolo nacional. Compra a Revista Brasil e começa a editar seus livros para adultos. Urupês inicia a fila, em 1918.

Surge a primeira editora nacional Monteiro Lobato & Cia, que se liquidou transformando-se depois em Companhia Editora Nacional sem sua participação. Antes de Lobato os livros no Brasil eram impressos em Portugal; com ele inicia-se o movimento editorial brasileiro. Em 1931, volta dos Estados Unidos da América do Norte, pregando a redenção do Brasil pela exploração do ferro e do petróleo. Começa a luta que o deixará pobre, doente e desgostoso. Havia interesse oficial em se dizer que no Brasil não havia petróleo. Foi perseguido, preso e criticado porque teimava em dizer que no Brasil havia petróleo e que era preciso explorá-lo para dar ao seu povo um padrão de vida à altura de suas necessidades. Já em 1921, dedicou-se à literatura infantil. Retorna a ela, desgostoso dos adultos que o perseguem injustamente. Em 1945, passou a ser editado pela Brasiliense onde publica suas obras completas, reformulando inclusive diversos livros infantis.


Com Narizinho Arrebitado lança o Sítio do Pica-pau Amarelo e seus célebres personagens. A obra é das mais originais da literatura infanto-juvenil no Brasil e o primeiro livro da série foi publicado em Dezembro de 1920. A partir daí, Monteiro Lobato continuou escrevendo livros infantis de sucesso, com seu grupo de personagens que vivem histórias mágicas: Emília, Narizinho, Pedrinho, Marquês de Rabicó, Conselheiro, Quindim, Visconde de Sabugosa, Dona Benta, Tia Nastácia, Tio Barnabé, Cuca, Saci, etc. Os personagens principais moram ou passam boa parte do tempo no sítio pertencente à avó dos garotos, batizado com o nome de Picapau Amarelo, de onde vem o título da série. Através de Emília diz tudo o que pensa; na figura do Visconde de Sabugosa critica o sábio que só acredita nos livros já escritos. Dona Benta é o personagem adulto que aceita a imaginação criadora das crianças, admitindo as novidades que vão modificando o mundo, Tia Nastácia é o adulto sem cultura, que vê no que é desconhecido o mal, o pecado. Narizinho e Pedrinho são as crianças de ontem, hoje e amanhã, abertas a tudo, querendo ser felizes, confrontando suas experiências com o que os mais velhos dizem, mas sempre acreditando no futuro. E assim, o Pó de Pirlimpimpim continuará a transportar crianças do mundo inteiro ao Sítio do Pica-pau Amarelo, onde não há horizontes limitados por muros de concreto e de idéias tacanhas.

Em 5 de julho de 1948, perde-se esse grande homem, vítima de colapso, na Capital de São Paulo. Mas o que tinha de essencial, seu espírito jovem, sua coragem, está vivo no coração de cada criança. Viverá sempre, enquanto estiver presente a palavra inconfundível "Emília".


Me, tenho o ima de geladeira da Emilia q vc me deu ate' hj! :)
Liv
Pin It

O beijo.....

Beijo de Mônica e Cebolinha estampa pela primeira vez capa de gibi jovem

Mônica e Cebolinha dão um beijo na capa de uma revista em quadrinhos. É assim que Maurício de Sousa apresenta a edição número 34 da Turma da Mônica Jovem, "Quer Namorar Comigo?", em que conta aventuras amorosas de Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão na adolescência.

É a primeira vez que um beijo da dupla estampa a capa do gibi, mas eles já haviam se beijado em historinha de edição anterior da revista.

 

Como a gente imaginava esse momento quando lia os gibis de criança. Será q um dia eles iriam ficar juntos? kkkk taí o resultado!

Quero voltar a ser criança................
:)
Liv Pin It

Vilões da turma inteira


Capitão Feio
O vilão que aparece mais nas historinhas. Ele quer sujar o mundo e fazer dele o seu parque particular de poluição e sujeira, além de querer que Cascão seja seu herdeiro, pois sabe que o garoto também adora sujeira. Cascão, apesar de em várias histórias, aparecer como fã do Capitão Feio, é contra sujar o mundo. Seu quartel-general se localiza embaixo do Parque da Mônica, lugar que o Capitão Feio odeia e que tenta destruir. Na Turma da Mônica Jovem, passa a se chamar "Poeira Negra" e torna-se mais poderoso. Foi revelado em Cascão Nº37/Janeiro de 2010/Editora Panini,que o Capitão Feio é tio do Cascão.

Seres do Esgoto
Os lacaios do Capitão Feio. São feitos de sujeira, e, no geral, são meio burrinhos. Só fazem o que o Cap. Feio manda, nada mais.

Lorde Coelhão
Dono de um exército de coelhos androides, Lorde Coelhão era conselheiro do rei de Cenourando, e tentava casar com Mimi, princesa do planeta. Conta com uma nave gigantesca chamada "Nave Mãe" de onde comanda seu terrível exército. Tem ainda como aliado, o espião Zoiudo. Lorde Coelhão é um vilão inspirado em Darth Vader. Mas atualmente ele quer destruir o Planeta Terra. Lorde Coelhão fez sua 1ª aparição no longa-metragem de 1982 "As Aventuras da Turma da Mônica", A Princesa e o Robô, onde foi dublado por Arakén Saldanha. Recentemente, ele apareceu na Turma da Mônica Jovem.

Coelhoides
Integrava o exército do Lorde Coelhão. Existiam os Coelhoides do bem e do mal.

Zoiudo
O lacaio do Lorde Coelhão, uma minhoca alada e um tanto puxa-saco. Desempenha atividades de investigação para seu mestre por todo o universo.

Rei do Fogo/Pitoco
Um terrível deus pré-histórico, senhor das chamas e labaredas. É um vilão cruel e malvado. Sua primeira aparição foi no filme Uma Aventura no Tempo (2007). No filme, ameaçou incendiar a Aldeia de LEM, se a Thuga não fosse sua esposa.

Cabeleira Negra
Soberana de todos os piratas espaciais, extremamente linda, cruel e sedutora. Cabeleira Negra é uma mulher aventureira, corajosa e imbatível como espadachim. Sua maior paixão é saquear naves interplanetárias em busca de tesouros para aumentar a sua fortuna. A 1º aparição foi no filme Uma Aventura no Tempo. No filme ela chegou a transformar o Cebolinha em rato, mas este foi salvo pelo Cascão. Recentemente, também apareceu na Turma da Mônica Jovem. Seu nome é Shirley. Na verdade é careca.

Piratas Siderais
Gangue de piratas mesquinhos, malvados e gananciosos do espaço sideral. Na verdade, são um bando de robôs, androides e alienígenas fora-da-lei que, no filme Uma Aventura no Tempo, agiam sob o comando da Rainha Cabeleira Negra.

Dente-de-Ouro
Bandeirante do mal, regenerado, que descobriu um amuleto mágico capaz de controlar a água. Assim como Deus do Fogo e Cabeleira Negra, sua 1º aparição foi no filme "Uma Aventura no Tempo".

Dr. Spam
(2005) - Dr. Spam é o oposto de Prof. Spada. Dr. Spam quer dominar o mundo e levar vírus para todos os computadores. Apareceu recentemente na edição 3 da Turma da Mônica Jovem.

Alienígenas do planeta Tomba
São extras-terrestres que vivem tentando "dominar" o planeta Terra. Já apareceram algumas vezes no gibi do Cascão e inclusive deixaram um clone em seu lugar. Eles compram presentes para tentar conquistar os terráqueos conforme disse Do Contra em uma das historinhas de Mônica Especial de Natal - n° 1 em que ele não acredita em Papai Noel. Apareceram mais fortes na Turma da Mônica Jovem 3.

Penha, a temida
Garota que apareceu primeiramente em “As meninas do bairro das Pitangueiras” em Mônica nº 14, na revista do Cebolinha nº 32 namorou com o Cebolinha e matou a Mônica de ciúmes e tem um “poder” conhecido como “Olhar de desprezo” Que pode deixar qualquer menina em depressão. É uma das meninas do Bairro das Pitangueiras.

Agnes, a tenebrosa
Garota que acha que sempre vai ficar doente e prende os passarinhos em gaiolas, como visto em “O sumiço dos passarinhos”. É órfã e vive com os fantasmas dos pais. É uma das meninas do bairro das Pitangueiras.

Sofia, a terrível
Garota mais gorda que a Mônica que quase nunca fala, fica quietinha lambendo o pirulito como em “ Tem uma pedra no meio do campinho”, é do bairro das Pitangueiras e quando a Mônica bateu nela, o coelhinho voltou para a própria mônica.

Bruxa Xanda
Bruxa que mora no Bairro do Limoeiro. Apareceu na revista Magali n°24 (Editora Globo),na Cascão Nº 18 no final da história de de abertura e já transformou a Mônica numa gatinha na história de abertura da revista Mônica n°19 (Editora Panini).

O Ladrão de Fumacinhas
É um cara que rouba fumacinhas de todos com a sua máquina. Apareceu pela primeira vez em uma revista do Cebolinha publicada pela editora Globo, em uma história do Almanaque do Cebolinha republicada em 2006 pela Editora Globo e também apareceu na revista Cascão nº18 da Editora Panini. O objetivo do vilão era sugar todas as famosas fumacinhas que sempre aparecem quando um personagem esta nervoso.

Tonhão da Rua de Baixo
O menino que espalha o terror no Bairro do Limoeiro, só perde uma briga contra a Mônica. Implicante, mal humorado e grosso. Conhecido também como Tonhão-Arranca-Toco.

Seu Bala
É o dono da Fábrica de brinquedos "A. Bala". Apareceu somente na história "Um sucesso no Natal", onde captura Cebolinha e tenta cortar seu cabelo, pois os cinco fios parecem com um capacete que chegaria as lojas no Natal, a nova invenção de Seu Bala, porém, falha, pois Mônica e Cascão aparecem para salvar seu amigo. Ganancioso, ele só pensava em lucro, mas teve a personalidade mudada graças a uma coelhada da Mônica, quando ficou gentil e generoso com as crianças.

Mago Alamazak
É um mago que deseja descobrir o sentido da vida meditando, mas é sempre perturbado por alguém da Turma. Ele apareceu num gibi do Cebolinha da Editora Globo, e do Cascão e Magali da Panini.

Seu Fubá
Um cozinheiro frustrado que tenta roubar as receitas da Tia Nena

Paçoca
Ajudante do Seu Fubá. Atrapalhado, sempre estraga os planos.

Homens Metálicos
São vilões dos anos 70. Apareceram em Os Doze Símbolos Natalinos impedindo a turminha de pegar o panetone nas terras de Maio.

Bringo
Vilão dos anos 70 é um cachorro que apareceu em Os Doze Símbolos Natalinos impedindo a turminha de pegar os cartões de natal nas terras de Julho.

Joni
Vilão dos anos 70 é um cachorro ajudante de Bringo que apareceu em Os Doze Símbolos Natalinos impedindo a turminha de pegar os cartões de Natal nas terras de Julho.

Bruxa dos Botões
É uma bruxa que vive roubando os botões da turma. Apareceu em Cascão 12 editora panini.

Bruxa Viviane
É uma bruxa que vive em uma caverna em baixo da Rua do Limoeiro. Ela sempre tenta dominar o mundo com os poderes da lua, sendo sempre atrapalhada por Magali. Aparenta ser jovem e é muito bonita. Tem um assistente gato chamado Boris. Aparece na TMJ 26, 27 e 28, onde está mais velha e tem uma filha chamada Ramona que adora plantas e a terra e não quer ser uma bruxa má como a mãe deseja. Menciona-se que o pai de Ramona foi para a selva Amazônica e adora plantas e terra como a filha. Na TMJ 26, 27 e 28, a bruxa Viviane tenta pegar as habilidades da turma para dar a filha para que ela se torne a maior bruxa de todos os tempos.

Boris
O gato preto encantado ajudante da Bruxa Viviane. Ele na verdade é humano, mas prefere ser gato. Foi transformado em gato pela bruxa Viviane.

Yuka
Rainha má do Japão, aprisionada por uma pedra lunar durante 400 anos, libertada graças ao Poeira Negra (Capitão Feio).

Vilões do Cebolinha

Mônica (em sua visão)
Alvo principal de seus planos 'infalíveis", para ele é considerada mais ou menos uma vilã, ele quer derrubá-la para ser o dono da rua.

Seu Bala
Antes da coelhada da Mônica, seu bala era malvado, e após lançar um capacete e ver que o cabelo dele tinha a mesma forma, queria cortar o cabelo do cebolinha.

Louco
É um homem louco que nas histórias do Cebolinha aparece com muitos empregos. Ele é considerado um vilão por atordoar o Cebolinha, mais ele atordoa o seu cebola também e geralmente confunde o nome do Cebolinha com Cenourinha. Aparece na Turma da Mônica Jovem aparentemente curado de sua loucura, atuando como professor. Seu nome foi revelado em uma revistinha, Licurgo Orival Umbelino Cafiaspirino de Oliveira.

Dudu (em sua visão)
Por ele o Dudu é o rei dos chatos por causa do seu falatório que atrapalha seus planos.

Papagaio Copião
(2007) - É um papagaio copião que se passa pelo Cebolinha falando mal dos outros com sua mesma voz e jeito de falar, Ele imita toda a turma, apareceu em uma revista do Cebolinha e uma do Cascão.

Vilões da Magali

Viviane, a Bruxa da Lua
(1998) - Vilã ligada às histórias da Magali, é uma bruxa que pretende conseguir os poderes da Lua para dominar o mundo. É uma mulher muito bonita, e tem como animal de estimação o gato falante Bóris. Apareceu mais em revistas da Magali, da Editora Globo, mas também em uma do Parque da Mônica (N° 20) da Editora Panini. Ela odeia a Magali.

Vilões do Cascão

Doutor Olimpo
Principal vilão do Cascão (é interessante que todos os vilões têm o Cascão como alvo principal), mas esse, em vez de sujar o mundo, quer limpá-lo, incluindo o Cascão, o que faz de Olimpo um vilão.

Sapóleo
É o ajudante burro do Dr.Olimpo, que sempre leva culpa dos planos falhados. No começo, O Doutor Olimpo o chamava de Zé.

Cremilda e Clotilde
(1982) - Mais vilãs que querem limpar o Cascão. Gêmeas com uma incrível mania de limpeza, frequentemente são contratadas para serem babás dele. Curiosamente, Cascão não tem por elas qualquer sentimento negativo.

Lara e Luísa
(2007) - São as sobrinhas da Cremilda e Clotilde. Também chamadas de Lá e Lú, elas também têm mania de limpeza (para azar e pavor do Cascão). Apareceu pela primeira vez na história "As Gêmeas Lá e Lú".

Esponja maligna
(2007) - Uma velha esponja que quis se vingar no almanaque nº 2 do Cascão em 2007, no final outra menina a encontra, ela dá língua ao Cascão, que diz que assim ela seria mais feliz.

Cumulus, o homem-nuvem
(2010) Um homem que teve seu emprego perdido como homem-da-previsão-do-tempo na televisão por causa de Cascão, então ele fez uma poção que o transformou em vapor. Pesquisou sobre o passado de Cascão e resolve dar um banho nele, porém é impedido por um ventilador. Apareceu pela primeira vez na história "É o Cúmulo, Mesmo!".

Paty
(2009) Uma menina mimada que tenta a qualquer custo dar um banho nele, já que acha que as brincadeiras do Cascão são ridículas. Apareceu pela primeira vez na história "O Grande Desafio".
Pin It

..........e as outras turmas

Turma do Chico Bento


Adooooooooooooooooooooooooro esse!!!!!!

Turma de personagens cujas histórias acontecem em uma cidade no interior de São Paulo, a Vila Abobrinha, composta em sua maioria por fazendas. A ambientação e as rotinas das personagens retratam fielmente o cotidiano e a cultura caipira. Originalmente o principal personagem era o Zé da Roça, e Chico Bento, um coadjuvante.
Na Vila Abobrinha ficam as fazendas do Chico Bento e do Nhô Lau (da qual os meninos roubam goiabas das árvores), a escola da Professora Marocas e o centro da cidade, onde ficam os armazéns e a igreja do Padre Lino, todos frequentados normalmente por Chico e sua Turma.

Chico Bento
Caipira de chapéu laranja, blusa amarela e calça desfiada xadrez azul. Chico tem uma personalidade alegre e costuma defender os animais e a flora de Vila Abobrinha. Ele tem uma namorada, Rosinha. Seu pai é agricultor. O melhor amigo de Chico é seu primo Zé Lelé.

Rosinha
Namorada de Chico Bento. Embora seja humilde, adora os elogios que Chico faz à sua beleza e é frequentemente paquerada por Genesinho, filho do coronel, embora não dê muita bola às suas investidas.

Nhô Lau
Fazendeiro de Vila Abobrinha rabugento, que vive tentando dar tiros de sal grosso nos meninos, incluídos no grupo Chico e Zé Lelé, por lhe roubarem goiabas. Em algumas histórias, os meninos lhe ensinam lições e Nhô Lau fica mais afável.

Zé Lelé
É o atrapalhado e não muito inteligente primo de Chico, assim como seu melhor amigo. Sua falta de inteligência e sua ingenuidade causam certa irritação dos amigos. Seu nome verdadeiro, mencionado em algumas ocasiões, é José Eleutério.

Turma do Bidu


Bidu
(1959) é um cão azul, inspirado em um Schnauzer cor sal-pimenta, meio azulada (nas primeiras edições, o Bidu era cinza). O primeiro personagem de Mauricio, cachorro do Franjinha. Inicialmente fazia aparições apenas com a turminha, se comportando como um cachorro, mas com o tempo ganhou uma outra 'dimensão', estreando histórias solo, como ator, personagem e se comportando quase como humano, satirizando as próprias histórias.

Bugu
(1972) - "Alô, mamãe!". Amplamente desgostado e desprezado pelo Bidu por tentar roubar-lhe a cena, Bugu é sempre chutado para fora pelo mesmo ao final das histórias. Seu maior dom é fazer imitações, e sempre arranja um jeito de representar algo no meio das historinhas do Bidu. Certa vez, apareceu Dudu, um cachorro que sabia imitar o Bugu! Um imitador de imitador…

Manfredo
(1982) - é um cachorro que faz tudo nas histórias do Bidu (nas histórias de bastidores): contra-regra, braço-direito, secretário, assistente, produtor, enfim, o que for preciso. Não costuma contracenar com Duque.

Duque
(1973) - o melhor amigo do Bidu. Esperto e simpático, está sempre convidando o Bidu para acompanhá-lo nos passatempos caninos, como correr atrás de pneus.

Turma do Horácio


Esse me faz lembrar sempre de papai, nao sei pq :)

Horácio é um dos principais personagens de Mauricio. Comenta-se que, na verdade, é um alter-ego do próprio autor, através do qual ele pode expressar sua opinião e filosofar.
Suas histórias geralmente não tem fins humorísticos e sim reflexivos acerca de vários assuntos.

Horácio
Tão ingênuo quanto filósofo, Horácio é um filhote órfão de Tiranossauro Rex, mesmo que não pareça, pois é meigo, amigo, gentil, solidário, e, o mais surpreendente, herbívoro, sendo seu prato predileto alface. Nasceu de um ovo abandonado ao sol e até hoje procura saber quem é a sua mamãe. É o único personagem cujas histórias são apenas escritas pelo próprio Mauricio.

Lucinda
Namorada de Horácio. Vive falando em casamento com Horácio, que sempre tira o corpo fora.

Tecodonte
E' o melhor amigo de Horácio, mas quase nunca concorda com as ideias "solidárias" deste, como na história em que Tecodonte caiu, mas Horácio não riu dele.

Turma do Penadinho


Uma turma de seres do folclore popular mundial, tais como fantasmas vestidos de lençóis, lobisomens, múmias, etc.

Penadinho
Um fantasma baixinho. Geralmente não faz nenhuma maldade, mas às vezes sai para assustar pessoas com seus amigos. É revelado em uma história que tinha pernas altas, mas ficou atarracado, como todos o conhecem, no momento de sua morte: enquanto dirigia seu carro, entrou por acidente num ferro-velho e caiu em um compactador de metais, que o esmagou fatalmente. Há também outra versão de sua morte, a de que ele estava praticando mergulho sub-aquático, quando veio um tubarão e comeu a cabeça dele.

Dona Morte
Representação da morte, sempre muito atarefada. É uma das personagens centrais e principais das histórias do Penadinho. Aparece na maioria das histórias, com ou sem Penadinho e sua Turma, já que aparece por vezes em histórias individuais suas também. Mesmo sendo uma personificação do Ceifador Sinistro, a Morte propriamente dita, ela é uma criatura caridosa e inofensiva.

Zé Vampir
Um vampiro meio atrapalhado que sempre tenta sugar sangue de alguma vítima, mas geralmente se dá mal. É um dos grandes amigos de Penadinho. Apesar disso não leva aos extremos sua sede por sangue. Também não é homossexual, já que só suga mulheres.Paródia do Drácula de Bram Stoker

Cranicola
Uma cabeça de caveira que fica sobre uma pedra. Sonha em ter um corpo próprio e serve de bola para as "peladas" da turma.

Frank
Um ser criado pelo dr. Frankestóim. Tem muitos dispositivos e geringonças diferentes guardados na cabeça. Só não é lá muito inteligente.Sátira do Frankenstein de Mary Shelley

Turma da Tina


Lançada em 1964, em uma tira de jornal, onde somente aparecia Tina e Rolo completamente Hippies. Mais tarde, em 1970, Tina faz a sua estreia em uma historinha solo de duas páginas. Em maio de 2009, ganhou revista-solo.
As histórias da Turma da Tina são voltadas para o público adolescente. Inicialmente Tina e Rolo tinham visual hippie e se passavam na Bahia. Ao longo do tempo, o visual deles foi mudando. Tina talvez seja a personagem mais reformulada de Mauricio de Sousa.
Eles também moram no Bairro do Limoeiro e em algumas raras vezes se encontram com a Turma da Mônica, mas somente em histórias especiais, já que são mais velhos do que os personagens da "Turminha". Os principais integrantes são: Tina, Rolo, Pipa e Zecão.

Tina
Amiga, determinada, simpática, linda e com estilo, Tina é caloura na faculdade de jornalismo, e namora o Jaiminho, mas nada sério(tanto que o namoro tem seu fim nas temporadas mais recentes), e é alvo de cantadas de vários garotos. Sua vida se resume a estudos, passeios, namoros e planos para a carreira. Tem 18 anos e sempre tem histórias legais e interessantes para o público jovem. Sua melhor amiga é a Pipa, e seus melhores amigos são o Rolo e o Zecão.

Rolo
O bon vivant acha-se o rei do pedaço com as mulheres, mas nem sempre se dá bem. Tem uma moto chamada Zulmira, toca guitarra e finge que sabe surfar. Trabalha em um escritório e sempre se mete em "rolos" tentando achar uma namorada. Seu nome se deve por ter barba e cabelo azul em forma de rolos. Tem uma boa amizade com Tina, e apesar de viver paquerando várias, tem uma queda platônica por ela, que não é muito enfatizada nas histórias. Seu melhor amigo é o Zecão, namorado da Pipa.

Pipa
Gordinha e chorona, é a melhor amiga da Tina. É um tanto neurótica e ciumenta quando o assunto se trata de namoro. Namora o Zecão e tenta emagrecer sem sucesso. Faz jornalismo junto com a Tina e está sempre disposta a ajudá-la.

Zecão
Namorado da Pipa. Sempre muito largado e distraído, vive mancando com o seu relacionamento, e a Tina é quem o põe para cima quando ele briga com a Pipa e tenta fazer os dois se reconciliarem. Adora futebol, principalmente na TV, e não troca uma cochilada por nada. Seu melhor amigo é o Rolo.

Turma do Piteco


Lançada em 1965 em um livrinho. Uma turma e habitantes dos tempos das cavernas e seu cotidiano, na aldeia de LEM.

Piteco
Um típico homem das cavernas, solteirão convicto. Caçador corajoso e um pouco atrapalhado, seu traço de certa forma lembra o Rolo. Prefere morrer solteirão a se casar - principalmente com a Thuga. Ele aparece no filme "Turma da Mônica-Uma Aventura no Tempo" e tem aproximadamente 39 anos. Vive na Aldeia de Lem e seu nome completo é Pithecanthropus Erectus da Silva.Seu sobrenome,da Silva,não faz sentido porque na pré-história os sobrenomes ainda não tinham sido inventados

Thuga
Uma mulher gordinha (lembra a Pipa) que tem como objetivo de vida casar com o Piteco (o que ele recusa firmemente). Insiste e não desiste. Ela também aparece no filme "Turma da Mônica-Uma Aventura no Tempo".

Bolota
Amigo de Piteco, magricelo, careca e narigudo. É uma espécie de amigo-confidente de Piteco. Ao contrário de Piteco, bolota é casado e tenta convencer o amigo a se casar também.

Beleléu
O inventor esquisito da Pré-História. Por mais úteis que possam parecer seus inventos, o povo de Lem o considera um doido.

Turma da Mata

Animais antropomorfizados, vivendo na selva sob o comando de um rei leão.

Turma do Papa-Capim


Uma tribo de índios (estilizados) que vive na Amazônia(no passado). É usada por Mauricio para passar mensagens ecológicas.

Papa-Capim
Indiozinho brincalhão, morador da floresta Amazônica que odeia os "homens brancos" e que é perfeitamente ligado a natureza. Nunca deixa seu amigo Cafuné na mão e é muito valente.

Cafuné
Indiozinho muito medroso, narigudo e brincalhão, é o grande e inseparável amigo do Papa-Capim. Ajuda seu amigo nos seus deveres e o acompanha nas suas aventuras pela mata.

Jurema
Representa a figura feminina dos curumins, que é como se chamam as crianças índias. Tem com Papa Capim uma afinidade especial, mas são apenas amigos.

Turma do Astronauta


Na verdade, 'turma' não seria mais correto, visto que são poucos personagens fixos. Trata-se do ambiente onde se passam as aventuras de 'Astronauta', um astronauta brasileiro que viaja pelo espaço em uma nave redonda.

Astronauta
(1963): Um astronauta brasileiro e herói interplanetário. Seu companheiro de viagem é um computador de bordo. Tem sua origem no interior do Brasil, numa típica fazenda, na pequena cidade de Tangará. O órgão para o qual o Astronauta trabalha chama-se Brasa - Brasileiros Astronautas.

Ritinha
Inicialmente namorada de Astronauta, sempre presente na memória dele e nas vezes em que visitava a Terra. No entanto, não se sabe o motivo, numa série de histórias publicadas, mostra-se que Ritinha cansou de esperar Astronauta voltar de suas viagens e se casou com outro, Bonifácio, e teve um filho, fazendo Astronauta cair em depressão.

Computador
O companheiro de Astronauta é um computador de bordo, estereotipado, com uma tela com uma face humana estilizada. É ele que conversa com o Astronauta e quebra sua solidão jogando com ele partidas de xadrez.

Turma do Ronaldinho Gaúcho


Em 2006 Mauricio lançou a revista do Ronaldinho, em que repetia a experiência feita anteriormente com o Pelezinho, transformando o jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho em personagem a interagir inclusive com a Turma. Foi lançado no mês de julho de 2006, aproveitando-se da grande expectativa gerada pela Copa do Mundo daquele ano, na Alemanha.

Ronaldinho Gaúcho
(2006) - Inspirado no jogador de futebol homônimo, a princípio interage com o resto da turma, mas o plano é criar todo um núcleo de personagens secundários para ele.

Diego
Fã número 1 de Ronaldinho, Diego parece até a sombra do menino! Está sempre nos mesmos lugares que Ronaldinho, querendo fazer as mesmas coisas que ele.

Assis
É o irmão mais velho de Ronaldinho Gaúcho. Desde que o pai morreu, Assis ajuda a mãe a cuidar da casa e dos irmãos mais novos.

Deisi
Irmã do meio de Ronaldinho, Deisi é uma menina meiga e carinhosa! Ela também gosta de futebol e joga como goleira no time que organizou com as amigas. Pin It

A Turma da Monica

Se isso mexeu contigo, vc teve infância! :-)

Turma da Mônica é um grupo de personagens de história em quadrinhos criado por Mauricio de Sousa no ano de 1959.
É o maior dos grupos (chamados de "turmas") de personagens criadas pelo cartunista, possuindo ainda uma série de minigrupos, nos quais as personagens passam por várias peripécias cotidianas. O termo pode se referir também a todas as personagens já criadas por Mauricio, mas que, a rigor, não fazem parte da "Turma da Mônica", tais como as personagens da Turma da Mata ou da Turma do Penadinho.
Os primeiros personagens da Turma da Mônica foram Bidu e Franjinha publicados pela Editora Continental em 1960.
A Turma da Mônica foi publicada pelas editoras Abril e Globo e desde 2007 vem sendo publicada Panini Comics, além da publicação de tiras no formato de bolso pela própria Panini e pela L&PM.
As novidades recentes da Turma da Mônica são a Turma da Mônica Jovem, lançada em agosto de 2008.


A Turma da Mônica

Mônica
Mônica é o personagem mais conhecido de Mauricio de Sousa. Representa uma menina forte, decidida, que não leva desaforo para casa mas, ao mesmo tempo, tem momentos de feminilidade e poesia. Mora com os pais, tem um cãozinho chamado Monicão e vive para baixo e para cima agarrada a um coelho de pelúcia. (Sansão - Coelhinho de pelúcia azul, inanimado, é o bichinho de estimação da Mônica). E este coelho, que ela trata com todo o carinho, também serve de "arma" contra os meninos.  Principalmente o Cebolinha e o Cascão, que não param de "aprontar" com ela. Foi criada em 1963, baseada na filhinha do Mauricio, com o mesmo nome. No início, saía nas tiras do Cebolinha, nos jornais.Depois começou a "roubar a cena" e ganhou sua revista própria em 1970. Desde essa época, é uma das revistas que mais se vendem no país.Hoje, além dos quadrinhos - onde aparece na história como líder imbatível e dona absoluta da rua - Mônica é estrela de cinema, teatro, tem vários produtos que levam seu nome, faz campanhas educativas e comerciais de tevê. Estrela mais versátil, impossível.

Cebolinha
Cebola, um garoto de cabelos espetados que, quando falava, trocava o “R” pelo “L”, existiu mesmo, fazia parte de uma turma de garotos, lá de Mogi das Cruzes, e acabou emprestando suas características para o Cebolinha, personagem criado em 1960 por Mauricio de Sousa. Ele já foi mais gordinho, mais crescidinho e até mais cabeludo, mas sempre com o mesmo jeito “englaçado” de falar. Parceiro de aventuras - ou seria melhor dizer “vítima”? - da Mônica, a quem vive tentando derrotar com seus “planos infalíveis”, Cebolinha teve a sua revista lançada em 1973 e nas horas vagas também é astro de tevê, cinema e teatro.

Cascão
Cascão nasceu em 1961, baseado nas recordações de infância do próprio Mauricio. Ele conta que, no início, teve receio da reação do público para com este personagem com uma certa “mania de sujeira”. A aceitação, entretanto, foi imediata e a popularidade cresceu tanto que desde agosto de 1982, Cascão tem sua própria revista.

Magali
Magali é outro personagem baseado em pessoa real. A Magali real é filha do Mauricio (como a Mônica e a Maria Cebolinha ) e a Magali personagem é uma das criações mais simpáticas e conhecidas da turma.A de verdade comia uma melancia inteira em criança. Daí o personagem seguir seus hábitos. Mas apesar desse apetite todo, Magali continua elegante e feminina. É a única que não vive brigando com a Mônica. Tem um gato, o Mingau, e vive com os pais.

Filmes


1979 Mônica e Cebolinha – No Mundo de Romeu e Julieta' Filme em live-action, feito para televisão

1982 As Aventuras da Turma da Mônica

1983 A Princesa e o Robô

1986 As Novas Aventuras da Turma da Mônica
Mônica e a Sereia do Rio Filme em live-action/animação
Participação especial de Tetê Espíndola

1987 O Bicho-Papão

1988 A Estrelinha Mágica

1989 A Rádio do Chico Bento Filme em live-action

1978 Romeu e Julieta

1990 Chico Bento, Óia a Onça

2004 Cine Gibi Filme em live-action/animação
Participação especial de Luciano Huck, Wanessa Camargo, Fernanda Lima, Pedro e Thiago

2005 Cine Gibi 2 Lançado direto em vídeo

2007 Uma Aventura no Tempo Indicado – Grande Prêmio Brasileiro de Cinema de Melhor Filme de Animação

2008 Cine Gibi 3 Lançado direto em vídeo

2009 Cine Gibi 4 Lançado direto em vídeo

2010 Cine Gibi 5 Lançado direto em vídeo

Em breve Horácio O Filme Animação 3D em produção (Obaaaaaaaaaaaaaaaaaa!)


Quantas e quantas vezes eu li os gibis e vi os filmes da turma da Monica. O filme de 86 com a Teté Espíndola, Jesus eu e minha irmã acho que conseguimos furar uma fita de vídeo de tanto assistir. Como a gente adorava.
Alegrias de nossa infância! :)
Liv
Pin It

sexta-feira, 27 de maio de 2011

El Chavo del Ocho

Se isso mexeu contigo, vc teve infância! :-)

El Chavo del Ocho (no Brasil: Chaves), mais conhecido como El Chavo, é uma série de televisão humorística mexicana criada e estrelada por Roberto Gómez Bolaños, exibida originalmente entre 20 de junho de 1971 e janeiro de 1980. O enredo gira em torno das aventuras e atribulações de Chaves, um órfão humilde que mora dentro de um barril, e dos outros moradores de uma vila suburbana fictícia.
A série tem suas origens em 20 de junho de 1971, onde apareceu como um esquete do Programa Chespirito, produzido pela Televisión Independiente de México e transmitido no canal 8 do México. Em 1972, o canal transforma-se na Televisa e El Chavo se tornou uma série semanal com duração de meia hora. O programa foi cancelado em 1980, mas ainda foram produzidos curtas para o programa Chespirito até 1992.
No seu auge de popularidade durante meados da década de 1970, El Chavo, tendo 350 milhões de telespectadores em todo o mundo, foi o show mais assistido da televisão mexicana. A frequente ocorrência de expressões idiomáticas mexicanas tornou El Chavo muito difícil de traduzir para outras línguas, exceto para o português, que é muito similar ao espanhol. A música-tema da série foi "The Elephant Never Forgets", versão lúdica da As Ruínas de Atenas, de Beethoven, composta em 1967 por Jean-Jacques Perrey e Gershon Kingsley, que são pioneiros no campo da música eletrônica. No Brasil, a música-tema é a canção "Aí vem o Chaves".
El Chavo alcançou grandes índices de popularidade em toda a América Hispânica, bem como na Espanha, Brasil, Estados Unidos, entre outros países. No Brasil, a série ainda é muito popular e tem desenvolvido um grande seguimento cult pela Geração Y. É exibida pelo SBT desde 1984, e começou a ser exibida pelo Cartoon Network desde novembro de 2010.
Em 2011, o programa completa 40 anos ininterruptos de exibição na televisão.

A série conta a história de um garoto órfão e muito humilde, que é conhecido simplesmente como "El Chavo" (no Brasil, "Chaves"). O garoto vive na periferia de uma grande cidade, e seu "esconderijo" é um barril localizado no pátio principal da vila de classe média baixa onde reside. Lá, ele deve conviver com os particulares moradores e vizinhos, com os quais sempre está envolvido em divertidas situações. A sitcom tem crítica social e mostra em forma de comédia a convivência com os vizinhos, satirizando atitudes dos seres-humanos com piadas rápidas e inteligentes durante cada episódio. Segundo o criador, produtor e intérprete da série (Roberto Gómez Bolaños), no livro O Diário do Chaves (lançado em 2006), o garoto havia fugido de um orfanato do qual a mãe o havia deixado bem pequeno, já que lá não se sentia feliz. Foi então que encontrou uma "vila", e uma senhora sozinha, muito idosa, o abrigou no apartamento número 8, junto a ela. Mas logo ela faleceu e Chaves teve que ser despejado, passando a viver então dentro do Barril. Mas para todos, continuava dizendo que morava no apartamento 8. Somente com o lançamento desse livro foi revelado este "enígma" da série.


Lista de episódios de El Chavo del Ocho
 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_epis%C3%B3dios_de_El_Chavo_del_Ocho

Os Personagens

Chaves

O garoto órfão, o sardento menino de rua esfomeado que dá nome ao seriado. Roupas gastas, remendadas, maiores do que ele mesmo, notando-se que realmente o defunto era maior. Chaves é um garoto travesso, atrapalhado, meio tonto, mas com um enorme coração.
No entanto, passa dias sem comer, o que lhe provém esta fome absurda, que o faz aprontarmil e uma em troca de mais um sanduíche de presunto. Chaves vive dentro de um barril no pátio da Vila. No entanto, o garoto diz que aquele é seu esconderijo secreto, onde ele se refugia para escapar dos coques que o Seu Madruga lhe dá todas as vezes que ele pergunta algo estúpido sobre a vovozinha de Madruga. Ou então ele se mete no barril para chorar, para esquecer a tristeza...
Diz ele que realmente mora lá no apartamento oito, no outro pátio da Vila, mas no entanto ninguém nunca viu esta tal casa.
Toda as vezes que alguém resolve perguntar com quem ele mora ou qual é o verdadeiro nome dele, vem outra pessoa e interrompe a conversa, mantendo este assunto sempre um mistério.
Chaves é sonhador, sensível, companheiro e leal, e vê na figura do pateta do seu Madruga o pai que ele nunca teve. Mas ele também é corajoso e muito briguento, dadas todas as vezes que ele corre atrás do pentelho do Quico para lhe dar umas boas bordoadas.
Carismático, o garoto atrai o carinho de todos ao seu redor e, apesar de todas as brigas e resentimentos, ele é adorado por todo mundo na Vila... até mesmo pelo Senhor Barriga, candidato a saco de pancadas do menino do oito.
Como é um garoto pobre, tenta se divertir com o que tem a mão, como o vassoura que consegue equilibrar no pé ou o bilboquê de lata que ele mesmo fez. Também é muito comum vê-lo com um estilingue, caçando lagartixas. Mas vez por outra ele toma emprestado um dos brinquedos do Quico, e lá está ele rodando no triciclo ou imaginando ser o Pelé com a bola nos pés.
E a imaginação é uma das principais virtudes deste garoto: só ele pra pensar em uma Chinporinfula ou numa Chorofompila...
É perdidamente apaixonado pela menina Paty, que mora no apartamento 21, acima das escadarias atrás de seu barril.
Toda vez que ele fica assustado, seja com as histórias de terror da Chiquinha ou com a cara da Bruxa do 71, ele tem um 'piripaque'. Ele começa a endurecer, a ficar paralisado, até que fica parecendo umaestátua. Não tem outro jeito de tirá-lo deste estado a não ser jogar um pouco de água no seu rosto. Água logo com ele, que não é exatamente um adepto de banhos ou mesmo de se lavarem as mãos...E sua pobreza o obriga a trabalhar mais cedo.
Seja como engraxate, ou como garçom no finíssimo restaurante da Dona Florinda, ou varrendo o pátio da Vila, ou até mesmo recolhendo garrafas vazias para vender ao dono da venda da esquina. Mas é esta eterna luta pela sobrevivência, em busca de comida, sem perder a determinação e a ternura, que fazem Chaves ser um garoto tão amado.

Citações:

"Foi sem querer querendo." (pedindo desculpas), a que outros personagens podem, fazendo algo em resposta, dizer "Então eu vou fazer isso (eu vou te acertar) querendo por querer!"'
"Tá bom, mas não se irrite." (desculpa)
"Ninguém tem paciência comigo!" (reclamação)
"Isso, isso, isso!" (quando concorda)
"Pi pi pi pi pi pi" (choro)
"'Zás e zás e…" (quando esta animado para fazer algo, ele pode acabar isso com alguma discordância ou continuando animado)
 
Chiquinha

Baixinha, cheia de sardas, esperta e muito astuciosa, porém, sem muita capacidade intelectual, para a escola. Mas a sua lábia e seu jeitinho inocente ganham todo mundo, ora bolas! Filha do molengão Seu Madruga, seu papaizinho, Chiquinha é uma garota muito mimada, bagunceira e sem limites, tanto que o pai a mandou para passar uma férias com umas tias no Interior, só pra ver se ela tomava jeito. Não adiantou. Sua esperteza já tirou muitos pirulitos do Quico e balas de caramelo da ingênua Popis.
Apaixonada pelo Chaves, Chiquinha morre de ciúmes da Paty, e faz de tudo para provocar a menina. E como toda filha única, também morre de ciúmes do pai, e lutapara afastar qualquer mulher que se aproxime dele. Chiquinha não tem os dois dentes da frente,e usa sempre duas maria-chiquinhas.
No entanto, não é este o motivo que a faz ser chamada de Chiquinha (seu verdadeiro nome é Maria Francisca). Seu pai a batizou assim por causa das pintas que herdou da bisavó, a esclerosada Dona Neves. As pintas lembram as chiquinhas, pães salpicados de açúcar muito comuns no México. E falando na bisavó, Dona Neves é o xodó de Chiquinha.
A garota adora a sua bisa, com quem é muitíssimo semelhante, inclusive no jeito.Chiquinha é uma feminista convicta, e adora pregar peças e se dar bem às custas dos tontos do Chaves e do Quico, que sempre caem nas armações da garota.

Citações:

'Sim! Pois é, Pois é, Pois é!'
'Ai, meu Papaizinho Lindo, meu amor, Melhor Pai do Mundo...'
'Ué- ué - ué -ué - ué -uééééééé!!! (choro)

Quico

O garoto mais tonto de que se tem notícia. Filho da ranhetíssima Dona Florinda, Quico tem um QI bem abaixo da média, mas seus dotes financeiros são bem acima da média... Quico tem um monte de brinquedos, como o famigerado triciclo (alvo de muitas brigas entre os garotos da Vila), a luva, a bola e o taco de beisebol, seu enorme bilboquê e toda a sua coleção de carrinhos (que ele adora brincar fazendo de conta que cria um baita acidente de trânsito) e o seu preferido, a enorme bola daquelas típicas de parques de diversão, com a qual ele joga basquete, futebol e qualquer outra coisa que sua imaginação permita. É claro que ele divide os brinquedos com as outras crianças... quando elas oferecem algo em troca.
Quico usa seus brinquedos para impressionar, mas não gosta nem um pouco de emprestá-los, pois é um baita dum egoísta.
É comum vê-lo saindo de sua casa com uma versão avançada de um brinquedo que o Chaves esteja usando - por exemplo, quando Chaves brinca todo contente com sua bola de tênis toda suja e maltratada, eis que surge Quico com seu ar arrogante, trazendo nas mãos sua enorme bola colorida!
Adora que sua mãe lhe traga presentes novos todos os dias, e sempre que ela lhe pede um favor, lhe dá o troco para que ele compre um refresco ou um daqueles enormes pirulitos coloridos que deixam o coitado do Chavinho de água na boca.
Mas por trás de toda a arrogância e ar de superioridade, está um garoto medroso e sensível, mesmo que ele seja capaz das maiores mentiras e aprontos para conseguir o que quiser.
Seu terninho de marinheiro é sempre limpo e bem asseado, e por isso mesmo ele não gosta de brincadeiras que exijam muita movimentação, para que não suje sua roupinha. Seu terninho é umahomenagem ao seu pai, comandante da Marinha morto ao ser devorado por um tubarão em alto mar.
E um pai é o que ele quer arrumar logo, e que de preferência seja o sempre presente Professor Girafales. Se depender dele, a parada já está ganha para o Professor. Sempre que o Professor vem visitar Dona Florinda, Quico espera que ele traga a tão esperada bola quadrada.
Suas bochechas são alvo das piadas de todos, em especial de Chaves e Chiquinha, que dizem que o garoto tem Bochechas de Buldogue Velho.
Toda vez que alguém o aborrece, ou então quando Seu Madruga resolve dar um daqueles históricos beliscões no garoto, Quico vai para o paredão da vila, perto do barril do Chaves, onde se esvai em lágrimas, só para que sua mãe apareça cheia de carinhos e o proteja, mimando mais um pouco o bochechudo.
Seu verdadeiro nome é Frederico, mas todos o conhecem pela abreviatura, que é Quico. Sempre que sua mãe o chama pela nome inteiro, ele pode crer que ela está muito brava e que vai castigá-lo.

Citações:

'Gentalha, Gentalha, Prrr!'
' Você Não Vai Com a Minha Cara?'
'Você Quer?... Não Te Dou!'
'Ai, Calem-se, Calem-se, Calem-se, VocêsMe Deixam Louco!'
'Arrrrrrrrrrrrrrrrrr... (choro)'

Seu Madruga

O velho Senhor Madruga, chamado pelas crianças de chimpanzé reumático. Vestido em roupas velhas e acabadas, é o pai de Chiquinha, e ficou viúvo nove anos atrás, quando ela nasceu, pois sua mulher preferiu que a filha nascesse.
É um homem simples, maduro, sem educação, pois nunca terminou a escola. Ao invés de estudar, teve de trabalhar muito para sobreviver.
Hoje em dia, embora diga que lhe faltam oportunidades, Seu Madruga se deixou entregar à preguiça, e foge do trabalho como foge da cruz. Tenta sobreviver como pode, fazendo toda a sorte de bicos, como o Homem da Roupa Velha e como barbeiro, por exemplo.
Solteirão, é alvo constante das cantadas da Bruxa do 71, digo, da Dona Clotilde. A velha senhora vê neste viúvo a chance para desencalhar, e tenta apanhá-lo pelo estômago, que é uma de suas maiores fraquezas.
Mas ele gosta mesmo é da tia da Paty, que mora no 21, em cima das escadarias, de frente à sua casa, que é no número 72.
Madruga vê no Chaves seu reflexo de quando ele era criança, e tenta ser tolerante com as encrencas que o garoto arruma. Mas quando o Chaves apronta alguma com o Quico, o bochechudo logo grita em busca de sua mãe, e a velha Dona Florinda irrompe porta afora, já acusando Seu Madruga de ter feito o filho chorar (embora algumas vezes isso seja verdade, quando Madruga o belisca).
Aí, ela o esbofeteia, Quico o chama de gentalha, ele perde o controle e joga o boné no chão, pisoteando-o. Neste meio tempo, surge o Chaves, e diz algo engraçado sobre sua vovozinha. E lá vai o Chaves tomar um coque, que vai colocá-lo a chorar e a se esconder no barril.
Apesar de ter sempre uns trocados para jogar um dominó com os amigos (valendo dinheiro), Seu Madruga foge como louco do Senhor Barriga, a quem deve religiosos quatorze meses de aluguel. Sempre tem de arrumar um jeito de pagar pelo menos um mês do bendito aluguel, ou então está no olho da rua!

Citações:

'Só Não te Dou Outra Porque...'
'Mas Tinha de Ser o Chaves Mesmo!'

Dona Florinda

Uma mulher madura, envelhecida pelo tempo, viúva de um comandante da Marinha (de quem recebe polpuda pensão) e mãe de Quico.
Mora no 14. Dona Florinda é um mulher que crê que ainda vive numa situação de riqueza, quando na verdade a situação não tá tão boa assim. Mas ela mantém a pose e a honra, e promete aos quatro ventos, em toda a sua carranquice, que um dia ainda via se mudar desta vila, para ir para bem longe da gentalha.
Sua grosseria e mal-humor lhe renderam o apelido de velha coroca, ou ainda de velha carcumida!
Dona Florinda reclama de tudo: da preguiça e da vagabundice de Seu Madruga, da sujeira no pátio, da bagunça das crianças... Ríspida e brutalhona, sempre estapeia o Seu Madruga ao ver seu filho Quico chorar, sem nem sequer perguntar se ele teve ou não culpa na história.
E Quico é seu mimo, seu xodó. Mesmo apertada, ela cria este garoto a pão de ló. E falando em pão... que dotes culinários tem a Dona Florinda! Tem uma excelente mão para a cozinha! Trabalha tanto para manter sua casa em perfeita ordem lavando, cozinhando, arrumando, passando, que se esquece de si mesma e anda sempre de bobes, avental e tamancas. Mas a amante da ordem, da limpeza e da disciplina se derrete, e seu mau gênio se transforma em doçura e encanto quando ela se depara com o Professor Girafales, que sempre lhe traz um ramo de flores, e sempre é recebido com uma xícara de café. Então, Florinda se mostra romântica e apaixonada, quando seus olhos cruzam os do Professor Girafales. No entanto, os dois são muito tímidos, e nunca se beijaram ou sequer tocaram um as mãos do outro.
O Professor da escola de Quico é um homem culto, educado, perfeito para uma mulher como ela acha que é. Tudo entre os dois é lindo, mas até agora o homem nunca tocou em casamento, e enrola a pobre viúva a cada dia.

Citações:

'Outra vez o Senhor, hein, Seu Madruga?!'
'Vamos Tesouro, Não se Misture com Esta Gentalha!'

Professor Girafales

O altíssimo professor da escola pública. O Professor Inocencio Girafales (ou Professor Linguiça, como o apelidaram as crianças), é um homem de porte físico, alto, bem educado e bastante culto, embora um tanto durão, pois o salário de um professor não é lá grande coisa nem no México. O Professor adora ensinar, e vê nas suas crianças o futuro do mundo. No entanto, as maluquices e confusões de alunos como Popis, Quico, Chaves e Godines acabaram o tiram do sério, e o Professor sai logo distribuindo castigos, fazendo chamadas orais e colocando alunos para fora da sala! Fora da sala de aula, Girafales é um indíviduo sonhador, amável e muito romântico, e muito vaidoso de suas capacidades cerebrais. No entanto, os garotos acham que ele não bate bem dos pinos, pois está namorando a velha coroca... perdão, a Dona Florinda! E é para ela que ele se declara, levando inúmeros buquês de rosas, mas sem nem sequer pensar em casamento! Apesar de homem maduro, trabalha muito, é muito tímido e sabe que iria ter de apertar o cinto ao máximo para sustentar alguém com seu mirrado salário de professor.

Citações:

'Ta-ta-ta-ta-ta-ta-TA!'


Pergunta:
Onde eu acho tudo isso em DVD p/ eu ver tuuuuuuuuuuudo de novo!!!?!?!?!?!
E a bruxa do 71???? kkkkkk
:) Adooooooooogo.
Liv Pin It

El Chapulín Colorado


Se isso mexeu contigo, vc teve infância! :-)


El Chapulín Colorado (intitulado Chapolin no Brasil) é uma série de televisão mexicana do gênero comédia. Foi criado e interpretado pelo ator e escritor Roberto Gómez Bolaños.
Em 2010, o programa completou 40 anos ininterruptos de exibição na televisão mundial.
El Chapulín Colorado foi exibido na televisão mexicana pela primeira vez em 1970, na TV TIM (Televisión Independiente de México).
O nome "chapulín", (possivelmente de origem idiomática Nahuatl ou Asteca), é oriundo de uma espécie de gafanhoto, pertencente ao género Sphenarium, bastante popular no México, sendo utilizada como iguaria.
Em um quadro do Programa Chespirito, Chapolin explica a origem de seu nome. Seu pai chamava-se "Pantaleon Colorado y Roto" (Calça Vermelha e Curta) e sua mãe "Luisa Lane" (piada ao nome Lois Lane de Superman). Seu padrinho estudava e colecionava insetos. Então escreveu o nome de 4 insetos em pedaços de papeis e os colocou dentro de um chapéu, pediu que alguém sorteasse e assim saiu o nome "Chapulin" (Gafanhoto) para o batismo. Os outros três insetos eram Libélula, Escarabajo (Escaravelho) e Gorgojo (Caruncho). Portanto, o nome completo de Chapolin é "Chapulín Colorado Lane".

Exibição no Brasil

Em 1984, Sílvio Santos, proprietário da emissora brasileira SBT, comprou alguns episódios das duas séries, juntamente com algumas novelas da emissora mexicana, e começou a exibi-las ao meio-dia, no programa do Bozo. Foi um sucesso, e logo Chapolin ganhou espaço próprio na programação exibido diariamente em dois horários, precedendo ao programa Chaves.
Depois o SBT comprou um novo lote em 1988, dos quais só 2 episódios (Que estrearam em 2006), são conhecidos.
Em 1990 o SBT comprou um novo lote, na época 76 episódios foram apresentados e mais inéditos estrearam em 2005-2007.
Em 1992 foi comprado um novo lote, que a maioria dos episódios estrearam em 2006.
Em 1999 estreou o episódio do Programa Chespirito, Aventuras em Marte.
Deixou de ir ao ar regularmente em 2000, devido à exibição do Horário político, após um período recorde para programas do gênero, de 18 anos de exibição praticamente ininterrupta (superado apenas pelo seu co-irmão Chaves, com 18 anos tembém), embora o SBT tenha voltado a exibir episódios esporadicamente em vários momentos desde então. O seriado voltou a ser exibido pela emissora de segunda-feira a sábado sempre na hora do almoço em 31 de dezembro de 2001, voltando a ser extinto em 26 de setembro de 2003.Retornou à grade de programação aos sábados a partir de 12 de novembro de 2005, quando foram exibidos vários episódios e esquetes inéditos e considerados perdidos após uma remasterização, porém 4 episódios deixaram de serem exibidos desde 2003 e por baixa audiência devido à pouca divulgação da emissora, saiu do ar em 17 de março de 2007 dando espaço para a seriado norte-americano Eu, a Patroa e as Crianças. No entanto, retornou no dia 30 de julho de 2008 de segunda a sexta-feira, e sua exibição conseguiu derrotar o Jornal Hoje (exibido no mesmo horário), sendo que ficou com 12 pontos contra 11 do noticiário de acordo com o IBOPE. Porém, foi retirado novamente da programação em 2 de maio de 2009.
A partir do dia 1º de novembro de 2010, começou a ser exibido às 20h30 no canal estadunidense pago Cartoon Network, com a dublagem original. Dois inéditos foram exibidos "A Herança" (1977), "O retrato do General Valdéz" (1976).
E a partir do dia 3 de Janeiro de 2011, o SBT colocou a série novamente em sua programação, às 12h45, juntamente com as novidades de verão da emissora. Na semana de estréia, de cara já ficou no TOP 5 do SBT, atualmente, o SBT não encerrou o lote de episódios e está reprisando os episódios muito cedo, a audiência segue com 6 pontos, um ponto abaixo da meta.

Descrição
Os episódios da série enfocavam as aventuras diárias do Chapolin Colorado, um super-herói latino criado ao oposto da imagem dos super-heróis "enlatados" americanos: fraco, feio, medroso, pobre, desajeitado, covarde, tonto, mulherengo, mas que no final sempre superava seus medos para assim vencer seus inimigos. Ao sinal de perigo, os personagens secundários repetiam o bordão "Oh, e agora, quem poderá me defender?", ao que Chapolin entrava em cena por meio de algum tipo de materialização repentina (frequentemente tropeçando ou fazendo alguma idiotice ao entrar em cena) respondendo "Eu!".
O personagem vestia-se com uma roupa vermelha dos pés à cabeça, com algo parecido com asas de pano nas costas, antenas na cabeça, as chamadas "Anteninhas de Vinil", calçados amarelos e um escudo dourado no peito em forma de coração com as iniciais CH em vermelho - é dada uma ênfase especial às Anteninhas, que se conectam diretamente a todas as terminações nervosas do corpo do herói e assim tinham com ele uma interação direta e funcionalidade total: detectam presenças de criminosos e outros seres malignos (na esmagadora maioria dos episódios); decodificam e traduzem idiomas e códigos secretos diversos ("O Bebê Jupiteriano", no qual traduziu para português uma mensagem enviada diretamente do planeta Júpiter); captam leituras de materiais tóxicos ou perigosos ("O Vazamento de Gás", onde captou leituras de vazamento de gás inflamável); recebem pedidos de socorro (praticamente todos os episódios); ativam recursos bio-eletrônicos especiais presentes no corpo do herói ("O Pistoleiro da Marreta Biônica", no qual ativou suas Anteninhas de Alta Velocidade para confrontar a supervelocidade de um inimigo) e assim por diante.
Ele ainda fazia uso de armas, como a Marreta Biônica, um martelo nas cores vermelho e amarelo, que não só pulverizava seus inimigos como voltava fielmente às mãos, tal como um bumerangue ou o martelo Mjolnir de Thor; a Corneta Paralisadora, buzina de bicicleta que com um toque paralisa inimigos e objetos congelando sua movimentação até mesmo em pleno ar e com dois toques desfaz a paralisia; e as Pastilhas Encolhedoras (também Pílulas de Polegarina ou Pastilhas de Nanicolina), com as quais o Chapolin diminuía a um tamanho de aproximadamente 20 centímetros de altura para assim pegar inimigos desprevenidos ou acessar locais de pequena estatura.

Lista de episódios de El Chapulín Colorado

 
Filme
 
Recentemente o produtor e diretor Roberto Gómez Fernández, filho de Bolaños, anunciou estar preparando um filme com o personagem Chapolin. Cujo roteiro deve ficar pronto ainda no primeiro trimestre de 2011, o projeto será todo supervisionado por seu pai que é o criador e foi o interpréte orginal do personagem. O filme será feito em desenho e deve chegar aos cinemas em 2012.
 
"Oh! E agora, quem poderá me defender?" ................... "Eu!"

"Não contavam com minha astúcia!" ....... "Sigam-me os bons!"

Adooooooooooooooooooooro :)
Liv
Pin It