Share it!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Trihydral - A pasta de dente inovadora!


Sangramento na gengiva, atesta o dentista Hamilton Landi, de Londrina, é indicação de que algo não vai bem, e que é preciso buscar ajuda médica. Esse pode ser um dos primeiros sinais da periodontite, infecção causada por bactérias nos tecidos em torno dos dentes, e que além de problemas bucais pode causar uma doença cardíaca chamada endocardite bacteriana.
O problema de quem tem a doença periodontal, ressalta o especialista, é que a boca se torna um foco constante de bactérias. Elas podem alcançar a corrente sanguínea e o coração, e se tornam um risco, para quem tem pré-disposição, se se alojam na válvula mitral, causando a endocardite. Pesquisas científicas já apontam inclusive que quem sofre de periodontite tem maior incidência de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC).
Para Hamilton, o novo produto ajuda não só a combater as bactérias, mas a melhorar a resistência dos dentes a elas. ''A cloramina pode ser usada no caso de estomatites, inflamações, halitose por processo bucal, por pacientes expostos a rádio e quimioterapia, pacientes com alto risco de cárie, por quem usa prótese e aparelho, e até por quem está com faringite, tonsilite ou laringite, pela ação bactericida'', afirma.
Hoje, o anti-séptico mais comum, segundo ele, é o clorexidine, que tem uso limitado por afetar o paladar, não ser ativo com micobactérias e ter baixa penetrabilidade sobre a placa bacteriana, além de poder causar manchas.
Agora as pesquisas com a cloramina são para desenvolver um produto de uso profissional, um gel com concentração mais alta da substância para ser aplicado em consultório. (C.P.)
Serviço: Mais pelo e-mail contato@trihydral.com.br ou pelo site www.trihydral.com.br
Creme dental auxilia no tratamento da gengivite.
Novidade é o uso de um anti-séptico chamado cloramina em produto com tecnologia paranaense.
Um creme dental que promete realmente tratar a gengivite e outros problemas bucais, como sangramentos, hipersensibilidade, inflamações, placas bacterianas e cáries. Essa é a promessa de um produto com tecnologia paranaense, desenvolvido pelos dentistas Hamilton Landi e Flávio Landi. A novidade é o uso de um anti-séptico bastante comum - a cloramina - mas que nunca havia sido aplicado para esse fim.
A gengivite, segundo Hamilton, de Londrina, é uma resposta inflamatória da gengiva a alguns fatores, bactérias principalmente. Ele explica que a placa bacteriana é um biofilme que ''sempre vai existir'', mas, por algum desequilíbrio, o organismo deixa de ser resistente, resultando na doença gengival ou na cárie. O excesso de açúcar, que fornece ''material'' para as bactérias se reproduzirem, e doenças sistêmicas, como diabetes, são exemplos de causas desse desequilíbrio.
A prevenção, e também uma das formas de tratamento, inclui a boa higiene dental, com uso de escova e fio, e uso de cremes e bochechos. Mas há casos em que mesmo com todos esses cuidados o organismo não ''responde''. E se o organismo não responde, ou se não há cuidados, o perigo é ocorrer a chamada doença periodontal, que pode chegar à retração gengival e até a perda de dentes.
Pode parecer incomum, mas foi o caso da doença periodontal de Flávio, que o fez pesquisar uma nova forma de tratamento. Ele tinha indicação cirúrgica para tratar o problema, mas conseguiu solucionar o caso com bochechos de hipoclorito a 1%. O uso dessa substância, que nada mais é que uma solução menos concentrada de água sanitária, o fez buscar os livros do pai, dentista na década de 40, para pesquisar outras substâncias anti-sépticas.
E foi nesses livros que encontrou a cloramina, largamente utilizada antes do advento dos antibióticos, e até hoje usada como bactericida e como esterilizador de água de piscina. ''Nos associamos a um laboratório de Cornélio Procópio para criar o creme dental e o bochecho. Não descobrimos a substância, mas sim o uso dessa forma'', ressalta Hamilton.
De lá para cá foram oito anos de testes em universidades como a Estadual de Londrina (UEL) e a USP de Ribeirão Preto, até o produto chegar ao mercado, aprovado pela Associação Brasileira de Odontologia (ABO). O creme dental, que recebeu o nome ''Trihydral'', tem solução de 0,2% de cloramina, e já é comercializado, desde maio, em farmácias nas cidades da região norte do Paraná, em Curitiba e em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.
O uso desse produto, atesta Hamilton, é especialmente interessante naqueles casos de pessoas mais sensíveis, que mesmo com cuidados constantes de higienização bucal, sempre tem problemas e precisam fazer limpezas profissionais em curtos períodos. Nos casos de sangramento, por exemplo, a redução é de 80% em três a quatro dias. Para hipersensibilidade, afirma Hamilton, é possível perceber mudanças em três dias, bem diferente que outro tipo de creme dental para dentes sensíveis, que apresenta resultados em 20 dias.
Folha de Londrina
Pin It

0 comments:

Postar um comentário